O que considerar ao escolher uma plataforma de e-commerce?

Quando consideramos vender pela internet, precisamos tomar diversas decisões sobre as operações do nosso negócio. Elas devem ser muito bem pensadas, já que impactarão nossos resultados futuros. Uma das escolhas mais importantes, nesse sentido, tem relação com a plataforma de e-commerce.

Essa plataforma é o meio pelo qual faremos todo o gerenciamento da loja. É com esse sistema que conseguimos adicionar os produtos, para serem mostrados aos visitantes. Também administramos descrições dos itens e monitoramos aqueles que já foram vendidos. Ela também possibilita que o usuário navegue pelas páginas e conheça tudo o que a loja tem a oferecer.

Plataformas eficientes oferecem praticidade para os gestores, além de boa experiência de compra ao consumidor. Já as ineficientes dificultam todo o nosso trabalho de venda e complicam o momento das compras pelo cliente.

Dito isso, separei alguns itens a serem considerados por você, ao escolher um sistema adequado para sua empresa. Acompanhe!

Facilidade no uso

Iniciarei ressaltando que uma plataforma de e-commerce boa facilita o processo de gerenciamento. É com a ajuda desse sistema que executamos todos os processos essenciais para as vendas acontecerem. Inserimos os produtos, colocamos precificação e descrições, visualizamos os pedidos, controlamos a quantidade de cada item em estoque etc.

Já o consumidor navega pelo site, procura o que deseja, escolhe aquilo que melhor atende às suas necessidades, faz o pedido e realiza o pagamento. 

Existem, no mercado, softwares complexos, que demandam conhecimentos técnicos de programação e desenvolvimento web. Com essas opções, precisamos de uma equipe profissional, que realize alguns procedimentos especiais.

Por outro lado, há aquelas que facilitam o processo. Elas são criadas pensando naquele gestor que apenas deseja um software prático. Assim, ainda que não tenhamos essas habilidades específicas, conseguimos efetivar as ações, com eficiência, sem depender de terceiros ou de programadores. 

A dica, então, é dar preferência a essas mais intuitivas, evitando desgastes desnecessários.

Layout responsivo

A definição de um layout responsivo é um conceito muito ligado à experiência de compra do consumidor, que se define nas sensações e percepções durante o processo da aquisição. Essa experiência precisa ser positiva, pois, do contrário, faz com que o usuário desista da aquisição e parta para a concorrência.

Já a responsividade se define na adaptação do layout, das imagens e de todos os elementos da página em qualquer dispositivo usado para a navegação. Quando ela existe, o usuário que acessa o site por celular e tablet tem a mesma experiência e encontra a mesma usabilidade que aquele que visita o site pelo desktop.

Essa característica se torna cada vez mais importante, visto que compras realizadas por meio de smartphones têm aumentado cada vez mais. Segundo um levantamento realizado pela SPC Brasil, 74% dos consumidores utilizam seus celulares em alguma das etapas de aquisição.

Assim, não dar atenção a esse detalhe pode fazer com que haja perda de clientes.

Possibilidade de customização

A possibilidade de customização é outro item que deve ser bem analisado. Determinadas plataformas não permitem modificações e personalizações, obrigando o comerciante a utilizar um layout pronto. A desvantagem é ter uma loja mais comum e parecida com todas aquelas outras que fazem uso do mesmo sistema.

Quando conseguimos customizar, temos mais autonomia para deixar o e-commerce mais diferenciado, com identidade única, seguindo as características da nossa marca. 

Em um comércio tão competitivo, precisamos de serviços e produtos diferenciados, para atrair e cativar. Aquilo que é comum não gera tanto encantamento.

Compatibilidade com o negócio

Mais uma dica ao procurar por uma plataforma de e-commerce é verificar o quanto ela tem compatibilidade com o seu negócio. Alguns desses sistemas são criados com foco em outros tipos de empreendimento, não acolhendo, assim, nossas expectativas.

É interessante que a plataforma seja compatível com o seu objetivo, no caso das vendas de produtos. Entenda que existem diversos fornecedores grandes e importantes, mas, por não terem como “core” o comércio eletrônico, os softwares deixam um pouco a desejar.

Nesse sentido, avalie o tamanho do empreendimento, a projeção de crescimento, a área de operação do negócio e a afinidade dessas características com a plataforma em análise. 

Viabilidade de integrações

Existem diversas aplicações que podem ser integradas às plataformas e que permitem que a loja funcione com mais recursos. 

Sistemas de gestão ERP (Enterprise Resource Planning), suporte logístico, sistemas CRM (Customer Relationship Management), meios de pagamento, ferramentas de chatbot e recursos para marketing digital são alguns dos exemplos de aplicativos que otimizam o gerenciamento da loja, entregam melhor experiência de compras e auxiliam no aumento da rentabilidade.

Além desses, há a possibilidade de integrar a loja com marketplaces, lugares com altas oportunidades de vendas, por já contarem com um público grande e formado. Quando isso existe, a administração e o monitoramento das vendas por lá também ficam mais práticos. A possibilidade dessa integração também favorece o aumento do tráfego para a loja, otimizando o posicionamento do site nas buscas do Google.

Ou seja, ter integrações ajuda a posicionar melhor a marca, tornando a aquisição mais fluida e efetiva. Sendo assim, é outro ponto a ser avaliado no momento da decisão.

Otimização para motores de busca

Outro detalhe essencial é a facilidade que o gestor tem para otimizar a loja para os motores de busca, seguindo as boas práticas de SEO.

Algumas questões, como controle dos títulos das páginas, modificações da URL, redirecionamento 301, possibilidade de estruturar a navegação, velocidade do carregamento das páginas, viabilidade de inserir as palavras-chave nos locais apropriados, possibilidade de incluir canonical tags, facilidade para configurar a loja com o Google Analytics, são exemplos a serem observados.

Isso porque a otimização de SEO é fundamental para que os produtos sejam encontrados pelos usuários, em pesquisa nos buscadores, e para que o site tenha boas posições na SERP.

Com essas dicas principais para encontrar uma boa plataforma de e-commerce, acredito que sua escolha fique mais facilitada. Não se esqueça de que planejamento e elaboração de estratégias também são importantes, principalmente para adquirir novos clientes.

Gostou do conteúdo? Ficou com dúvidas ou precisa de mais orientação? Entre em contato com o nosso time de consultores, que podemos ajudar melhor na sua decisão! 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.